SECRETARIA DE JUSTIÇA EMITE ALERTA PARA PAIS E RESPONSÁVEIS POR CRIANÇAS SOBRE SÉRIE ROUND 6



O Departamento de Justiça da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), por meio do Programa Reconecte Paraná, emitiu um alerta para Rede de Proteção a Infância


Na França, 5 crianças foram hospitalizadas após imitarem os jogos da série Round 6. A produção exibida pela Netflix virou febre entre as crianças do mundo inteiro, principalmente seus trechos mais violentos expostos no YouTube e no tiktok.

Round 6 é uma série coreana, muito bem feita, mas repleta de violência explícita, tortura, homicídios, suicídios entre outras barbáries.

Em “Round 6”, brincadeiras tradicionais como "batatinha frita 1, 2, 3", "cabo de guerra", "bola de gude" e outras, viram assassinato a "sangue frio" de pessoas que não atingem os objetivos dos jogos.

O Departamento de Justiça da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), por meio do Programa Reconecte Paraná, emitiu um alerta para Rede de Proteção a Infância recomendando que pais e responsáveis pela proteção às crianças e adolescentes fiquem atentos e orientem os menores quanto a este e outros conteúdos acessados via dispositivos eletrônicos, incluindo a televisão.

Ney Leprevost, secretário da Justiça do Paraná comenta:“Psiquiatras e psicólogos não descartam os riscos da divulgação de filmes, séries, jogos eletrônicos e outros conteúdos violentos afetarem a integridade psíquica das crianças. Somos contra censura e favoráveis a liberdade de expressão. Mas a integridade das crianças está em primeiro lugar”, afirma.

Na Inglaterra, por exemplo, no distrito britânico de Central Bedfordshire, ao norte de Londres, conselheiros da educação enviaram mensagem a pais e responsáveis aconselhando-os a não deixar as crianças assistirem à série Round 6, sucesso na Netflix.

Segundo o veículo de comunicação The Guardian, as autoridades receberam relatos sobre crianças de 6 anos copiando os desafios e castigos do seriado, que na Inglaterra tem recomendação para ser assistido apenas por maiores de 15 anos.

Comentários