A MALDIÇÃO DAS DROGAS > JOVEM DE 23 ANOS ACABA COM CARRO E DESTRÓI A VIDA SUA E FAMILIARES!

 


Gente de bem desta nossa belíssima Guarapuava, quando leio o relato abaixo, lembro dos inúmeros casos semelhantes que acompanhei como palestrante motivacional voluntário, no Instituto VIVA MELHOR, onde pudemos durante todas as edições do programa, não só recuperar jovens dependentes, bem como deixar famílias felizes, como o programa não cobrava por suas ações, não demorou muito para que tivéssemos que parar as atividades por falta de recursos . Então cabe acompanhar com tristeza o que faz a droga na vida de um garoto de apenas 23 anos… Triste, quando nos colocamos no lugar do PAI OU MÃE DESTE RAPAZ!


LEIA O B.O DA PM ABAIXO


No dia 17 out. 21, às 15h30min, por solicitação do COPOM, as equipes policiais militares deslocaram até o bairro Industrial, a fim de averiguar uma situação de tentativa de furto. No local foi visualizado um homem, 23 anos, imobilizado por populares e que segundo relato de testemunhas, o mesmo veio dirigindo em alta velocidade quando perdeu o controle do automóvel VW/Polo, adentrando em um banhado, abandonando o veículo e saindo correndo.

Que em ato contínuo adentrou em um veículo VW/Gol e andou cerca de aproximadamente 50 metros, quando foi contido por populares. O autor apresentava visíveis sinais de alteração da capacidade psicomotora, características típicas do uso da cocaína.

No veículo VW/Polo havia bebida alcoólica. Diante dos fatos, as partes envolvidas foram encaminhadas para a delegacia, onde foi oferecido o teste etilométrico, o qual por três tentativas realizou de forma errônea, obtendo-se resultados imprecisos. O autor ainda relatou que fez utilização de vários pinos de cocaína durante o dia, e por conta disso e dos demais sinais evidentes, foi confeccionado o respectivo termo de constatação de alteração de capacidade psicomotora. Quanto ao veículo VW/Polo, este foi recolhido ao pátio do 16º BPM após lavradas as notificações cabíveis, já o veículo VW/Gol foi liberado para a proprietária.

Comentários