VEREADORA BRUNA ALEM DE TER CONTAS DESAPROVADAS É DENUNCIADA POR RECEBER AUXÍLIO EMERGENCIAL

 


Quando era repórter No Jornal Guarapuava em Foco, apresentado por Li Santana na TV, levantei em primeira mão uma matéria sobre a reprovação das contas de campanha da Vereadora recém-eleita a época, Bruna Spitzner (PODE) , a vereadora respondeu a matéria dizendo via nota que estava surpresa com a reprovação de suas contas


Nota vereadora Bruna: Recebi com surpresa a informação de que minhas contas da campanha foram desaprovadas pela Justiça Eleitoral. Meu jurídico já está ciente da decisão e, inclusive, já apresentamos o recurso cabível, para possibilitar uma nova análise. Como fiz desde o começo, seguirei sendo transparente e isso não irá impedir o trabalho que certamente continuarei desenvolvendo pelas causas para as quais fui eleita!

Após a nota e já em 2021,  as contas de campanha da vereadora foram desaprovadas,  em segunda instância, por constituir um fundo de caixa em valor superior ao permitido e realizar pagamentos em dinheiro de valores superiores a meio salário mínimo.

O valor total empregado pela legisladora em sua campanha, conforme declarado, foi de R$ 8.889,26.


VEREADORA RECEBEU AUXÍLIO EMERGENCIAL!!

E agora novas e polêmicas denúncias pairam sobre a legisladora de que ELA,  Bruna Spitzner vereadora do (PODE) havia recebido nove parcelas do benefício Auxílio Emergencial durante o ano passado.

Em entrevista recente ao site iPolítica, a vereadora confirmou o recebimento das parcelas e explicou que não estava empregada na época. Segundo ela

 “Não foi nada irregular […] quando não precisava mais dele, quando retornei ao trabalho, depois de alguns meses que eles me recontrataram com um salário menor do que eu recebia antes, eu consegui parar de receber o auxílio”, apontou Spitzner ao site.


A consulta de pagamentos via auxílio emergencial foram realizadas através do site Dataprev, com dados pessoais da vereadora, obtidos por meio do site Divulgacand, e apontam que Bruna Spitzner recebeu, no total, R$ 8.400 durante o ano passado.

Foram cinco parcelas no valor de R$1.200 (destinado às mães solteiras) no período de 22/04/2020 à 28/09/2020 e outras quatro parcelas de R$ 600 no período de 29/10/2020 à 28/12/2020.

Comentários