Após dizer que casamento gay é pecado, Papa Francisco chama coronavírus de “ato do diabo”

 


Depois de dizer que o casamento gay não é aprovado por Deus e pela Igreja Católica, o Papa Francisco voltou mais uma vez a ser notícia no último domingo (28), onde durante o “Domingo de Ramos”, celebração comemorada pelos católicos, fez declarações polemicas sobre o coronavirus, dizendo que vem do diabo.

Em uma missa celebrada para 130 fiéis e 30 cardeais, o Papa Francisco falou que o diabo está usando da pandemia para disseminar a discórdia.

O diabo está aproveitando a crise para semear desconfiança, desespero e discórdia. No ano passado, ficamos chocados. Este ano estamos mais sob pressão e a crise econômica se tornou pesada”, disse ele, acrescentando que a pandemia trouxe sofrimento físico, psicológico e espiritual.

Desde que se tornou papa em 2013, Francisco deixou claro que acredita que o diabo é real, dizendo em um documento de 2018 que é um erro considerá-lo um mito.

No começo de março, após aval do próprio Papa Francisco, a igreja Católica proibiu a união gay, dizendo até mesmo que homossexualidade é um pecado grave, que precisa ser combatido nos dias de hoje.

Não é lícito conceder uma bênção a relacionamentos, ou mesmo a casais estáveis, que impliquem uma prática sexual fora do casamento (ou seja, fora da união indissolúvel de um homem e uma mulher aberta, por si só, à transmissão da vida), como é o caso das uniões entre pessoas do mesmo sexo”, especifica o texto.


Comentários