Justiça marca nova data para júri de Luis Felipe Manvailer

 


O julgamento de Luis Felipe Manvailer foi remarcado para o dia 4 de maio de 2021. A nova data foi definida após o cancelamento da última sessão do júri, no dia 10 de fevereiro, quando a defesa do réu abandonou o plenário após o juiz negar a utilização de materiais que não estavam nos autos do processo.

Na ocasião, o juiz considerou a ação como “abandono injustificado de plenário” e determinou multa de 100 salários mínimos para cada advogado de defesa. Cabe recurso da decisão. O professor é acusado de matar a advogada Tatiana Spitzner, com quem era casado. A nova data foi definida pelo juiz Adriano Scussiatto da 1ª Vara Criminal e Tribunal do Júri de Guarapuava. Esta é a terceira vez que o júri popular de Manvailer é remarcado. Inicialmente estava agendado para 3 e 4 de dezembro de 2020. Foi adiado para 25 de janeiro, após um advogado da defesa do réu ser diagnosticado com Covid-19.

E a segunda remarcação do júri ocorreu após pedido da defesa do réu por incompatibilidade de datas. Preso há dois anos e seis meses na Penitenciária Industrial de Guarapuava, o professor e biólogo Luís Felipe Manvailer, vai ser julgado por feminicídio e fraude processual. Ele é acusado de matar a esposa e advogada Tatiane Spitzner por asfixia, jogar o corpo dela pela sacada do apartamento, recolher e abandonar o corpo dentro do imóvel. Os fatos teriam acontecido em julho de 2018. Se condenado, ele pode ser punido com pena de reclusão de doze a trinta anos.

Comentários