segunda-feira, 22 de julho de 2019

PRESSÃO DOS CAMINHONEIROS FAZ MINISTRO SUSPENDER NOVA TABELA DE FRETE




O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, solicitou à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT ) que suspenda a nova tabela do frete rodoviário, divulgada na semana passada. Segundo o ministro, haverá uma rodada de negociação com os caminhoneiros para definir o novo piso do frete. A primeira reunião está marcada para quarta-feira (24).

A resolução da ANTT previa que 11 categorias de cargas seriam usadas no cálculo do frete, além de ampliar a quantidade de itens considerados no cálculo. Os caminhoneiros não concordaram com as novas regras e, em grupos de Whatsapp, alguns líderes da categoria planejavam uma nova paralisação nacional, semelhante à ocorrida em maio do ano passado.
Como se sabe, começam a valer a partir de segunda-feira (22) as novas regras para o cálculo do frete mínimo de transporte de cargas. As alterações determinam que o cálculo do frete mínimo passará a considerar 11 categorias na metodologia para os diferentes cálculos dos pisos mínimos. Antes, o cálculo não se baseava em categorias. Entre as categorias de cargas estão os transportes de graneis sólidos, líquidos, cargas frigorificadas, cargas conteinerizadas e transportes de cargas perigosas em diferentes modalidades, sólidas e líquidas.
A resolução também amplia os itens levados em consideração para o cálculo. Segundo a norma, o cálculo do piso mínimo de frete levará em consideração o tipo de carga; também serão aplicados dois coeficientes de custo: um envolvendo o custo de deslocamento (CCD) e, outro, de carga e descarga (CC) que levará em consideração o número de eixos carregados. A resolução determina ainda que será levada em consideração a distância percorrida pelo caminhoneiro.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA