quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Sequestro morte e ocultação de cadáver- Caso Acir continua intrigando!

MONTAGENS MAL FEITAS CHAMARAM A
ATENÇÃO DA POLICIA QUE CONTINUA INVESTIGAÇÕES

A Polícia Civil de Guarapuava assumiu publicamente  a imprensa que Acir   foi assassinado.
Segundo o Delegado Bruno Miranda  as investigações estão na linha de extorsão mediante sequestro, seguido de morte e ocultação do cadáver”  O delegado coordena este   inquérito investigando o polêmico   sumiço de Acir, que foi registrado  dia 30 de novembro de 2018.
Outra informação, esta prestada a Rede Sul é que será  solicitada   prorrogação das prisões temporárias de oito pessoas que estão detidas por suspeita de envolvimento no caso. No início de dezembro, duas pessoas foram presas por suspeita de participação no caso.

“São pessoas que tiveram envolvimento nas transações financeiras decorrentes do desaparecimento de Acir”. Destacou o delegado ao site.
Segundo Bruno, o pivô do caso foi a extorsão de mais de R$ 100 mil, valor que Acir possuía numa conta bancária e que foi retirado pela própria vítima e entregue a um vizinho, que teria  confessado envolvimento em parte dos crimes citados.  A versão que é sustentada à polícia pelos detidos é de que Acir teria simulado o próprio sequestro, retirado  o dinheiro, chamado um Uber e sumido.
Para sustentar essa versão, o suspeito da autoria, que foi preso junto com outro homem após ter ateado fogo na caminhonete de Acir, fez montagens amadoras no perfil da vítima em redes sociais, dando a entender que a vítima estaria trabalhando no Mato Grosso.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA