sábado, 22 de setembro de 2018

Promovido pelo Crea-PR, 25º Fórum de Docentes aproxima atividade profissional do meio acadêmico



Segundo e terceiro dias do evento contaram com programação de caráter prático e teórico para o ensino de Engenharias, Agronomia e Geociências

Mais de 200 profissionais, professores e alunos acompanharam as atividades do 25º Fórum de Docentes, promovido anualmente pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), em parceria com Instituições de Ensino, entre os dias 19 e 21 de setembro. 
O grande destaque da quinta-feira (20) foram as três oficinas temáticas disponibilizadas para a comunidade acadêmica. A oficina "Metodologias ativas de aprendizagem no ensino de Engenharia" abordou a utilização dessas metodologias como uma possibilidade de desenvolver competências fundamentais para a formação de profissionais para o mercado de trabalho. Já a "Google for education: possibilidades didáticas na Engenharia" mostrou como as ferramentas da plataforma podem facilitar o trabalho dos docentes no dia a dia. E "Educando para acessibilidade" trouxe a importância do ensino de normas e leis de acessibilidade.

Na sexta-feira (21), o professor Dr. Marco Aurélio Cercal ministrou a palestra "Nova Era da Educação: Verdades que se redefinem precisam de pessoas que se reinventem", abordando a importância do domínio da linguagem digital para ressignificar a realidade social. De acordo com Cercal, enquanto os docentes utilizarem a mesma leitura de mundo, estarão munidos das mesmas estratégias. 
A nossa geração é digital e estamos utilizando metodologias analógicas, isso não vai funcionar. O novo ambiente é novo para todo mundo, somente a experiência não vai dar conta. Para ler o mundo novo, é preciso desenvolver uma nova linguagem, como se fôssemos aprender um novo idioma. Portanto, é isso que os professores terão que fazer a partir de agora: se reeducar e aprender uma nova linguagem, uma linguagem digital”, explica.
No evento também foram apresentados os melhores trabalhos de conclusão de curso do Paraná, escolhidos por membros dos colegiados. Entre as 14 pesquisas selecionadas, uma era de Guarapuava. O trabalho “Projeto e desenvolvimento de um sistema fotovoltaico autônomo voltado à área rural”, é de autoria dos engenheiros Hugo Fernando Magalhães de Figueiredo e Lucas Podolak, orientados pela docente Lilian Rosana Kermer Schultz, do curso de Engenharia Elétrica do Paraná, da Faculdade Guarapuava.
Neste ano, o Fórum trouxe como novidade a 1ª edição do Prêmio Inovação e Boas Práticas, que visa reconhecer ações inovadoras desenvolvidas por Instituições de Ensino Superior (IES) paranaenses. A premiação contou com a participação de quatro universidades: Centro Universitário de União da Vitória (UNIV), Faculdade Mater Dei, Faculdade Fatecie e Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). A iniciativa vencedora, proveniente da Faculdade Mater Dei, aborda o Fundo de Integração e Desenvolvimento do Mercosul (FOCEM). De acordo com o professor da instituição e engenheiro civil Vitor Guerra, o projeto abrange diversos municípios e visa financiar programas para promover a convergência estrutural.
Balanço final
O presidente do Crea-PR, engenheiro civil Ricardo Rocha, destaca a importância do Fórum para o desenvolvimento profissional de toda a categoria. “O primeiro Fórum de que participei foi em 1996, e vejo como esse evento ajudou no meu desenvolvimento e a trazer ideias inovadoras para dentro da universidade onde atuo. Muito do que eu trago da carreira de docente já foi discutido nesse Fórum. Por isso, considero o evento de muita importância e vejo que os professores também enxergam dessa maneira”, afirma.
Para a 26ª edição, há uma novidade. O evento, que está previsto para os dias 19 e 20 de setembro, passará a ser chamado “Fórum de Docentes e Discentes” e será sediado no Centro Universitário Dinâmica das Cataratas, em Foz do Iguaçu.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA