terça-feira, 6 de março de 2018

UBER A POLÊMICA: SAMUCA DETONA MELHEM DIZENDO QUE O LIDER DO PREFEITO FALOU MENTIRAS AO DEFENDER TAXISTAS SOMENTE APÓS APROVAÇÃO DE LEI FEDERAL

Samuca disse  que o líder do prefeito mentiu em seu pronunciamento, principalmente no tocante a regulamentação



Ontem o vereador Elcio Melhem fez um pronunciamento completo e detalhado sobre os aplicativos Uber e similares, enfocando que segundo o projeto aprovado na Câmara e senado a prefeitura vai ter acesso a quantos são os motoristas do Uber, onde estão e quem são. Se houver alguma dúvida do poder público em relação a algum ponto, ele ( poder público)  entra em contato com o Uber e decide se a pessoa sai do serviço ou continua. Praticamente o legislador deixou aberto para a retirada de seu projeto anterior que vedava a proibição dos aplicativos em defesa dos taxistas, devido a aprovação do senado e Câmara Federal da normatização do aplicativo. Melhem deixou claro que defende os taxistas.      E teria pedido  ao prefeito regulamentação.
 Porém, o vereador Samuel Silva Pinto (PPS), não gostou do pronunciamento
  de   Elcio e partiu para o ataque verbal ao pronunciamento de  Melhem, inclusive , em alguns momentos dizendo que o líder do prefeito mentiu em seu pronunciamento, principalmente no tocante a regulamentação que seria uma solicitação dele ( Samuca)  enfocando que ele e somente ele, defendeu a livre regulamentação  do Uber em contra partida defende os direitos  ode taxistas. Na sequência lembrou – que outros três vereadores da chamada bancada jovem são parceiros no debate e revisão de projeto.
Fato que virou motivo de análises  nos corredores do legislativo, pois ele defende os aplicativos e o vereador Melhem deixou claro na aprovação de lei que vetou no passado aplicativos na cidade . Ou seja, Samuca quis dizer que está em defesa tanto do UBER como taxistas?
A pouco o vereador em contato com o Lobo Noticias disse que não está defendendo a classe dos taxistas e sim sai em defesa do mercado livre.
“ Quando eu defendi o aplicativo ao prefeito deixei claro que se os taxistas pagam impostos o UBER precisa pagar também! Dar condições dos dois trabalharem no mesmo padrão. Foi esta forma que eu quis dizer. ”
O pronunciamento de Samuca, deve ter resposta hoje principalmente no tocante a dizer que o líder do prefeito mentiu em seu pronunciamento. Quem conhece Melhem sabe que o líder do prefeito não vai deixar barato a acusação.
 O vereador pegou pesado com Melhem e este não estava na Câmara no momento para fazer a auto defesa.
 O clima deve esquentar hoje no legislativo . Pois  o debate que poderia ter encerado ontem, se não fosse o pronunciamento inflamado de Samuca, certamente fará que  as discussões   na sessão de hoje (6) sobre o polêmico  projeto de lei 4/2018 que propõe revogar a proibição de aplicativos de transporte individual de passageiros na cidade a  proposta solicita  que o executivo municipal encaminhe um projeto de lei  regulamentando  a prestação do serviço de transporte remunerado, privado, individual de passageiros por aplicativos fixos ou móveis.
Atualmente esse tipo de serviço é proibido na cidade. No entanto, a empresa Uber começou a operar na cidade no dia 23 de fevereiro. A empresa argumenta que a legislação brasileira assegura a prestação de serviço do aplicativo.
A  Iniciativa é dos vereadores  Luiz Augusto Klosowski (PHS) Danilo Dominico (PSD), e Pedro Luiz Moraes (PRB) e como já citei do polêmico  Samuel da Silva Pinto (PPS).
Regulamentação
Atualmente os aplicativos que atuam na cidade não pagam nenhum valor para prefeitura. O município tem a prerrogativa de estipular um percentual. Em Curitiba, por exemplo, cerca de 1% de cada viagem é destinado à prefeitura.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA