quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Osmar critica agressões pessoais proferidas por ex-prefeito de Curitiba


O candidato ao governo do Paraná Osmar Dias (PDT) criticou as agressões pessoais proferidas pelo seu adversário Beto Richa (PSDB) no encontro com prefeitos, em Curitiba. “Eu acredito que é necessário mais maturidade ao meu adversário. Essas agressões pessoais não são o que a população espera dos candidatos”, reagiu Osmar, em entrevista à rádio Band News, nesta terça-feira (31).
Osmar lembrou que quando apoiou Beto Richa à Prefeitura de Curitiba, recebia muitos elogios do então candidato a prefeito. “O que mudou para ele modificar tanto sua opinião ao meu respeito? Não dá para considerar estes ataques pessoais que Beto me faz agora. Acredito que não passa de infantilidade. Só mostra que ele está imaturo para governar o Paraná”, avaliou o candidato do PDT ao governo.
Segundo Osmar, quando apoiou Beto Richa à reeleição de prefeito em 2008), o tucano disse a ele e à população inteira da capital que ficaria no cargo até completá-lo em 2012. “Quando eu o apoiei não pensei que ele fosse abandonar compromisso assumido. Agora ele também demonstra imaturidade quando me ataca e eu gostaria que me respeitasse e que a gente fizesse uma campanha discutindo propostas para o Paraná”, pediu.
Osmar disse ainda que “ao deixar a cidade, o ex-prefeito deixou de cumprir todos os compromissos que assumiu, aqueles que registrou no cartório. Este registro que ele fez agora em cartório não passa de mais uma tentativa de convencer a opinião publica. Os fatos estão aí para a população analisar. Eu mesmo tenho dificuldade de acreditar.”
Questionado pela entrevistadora sobre seu projeto em saúde pública, Osmar disse que irá trabalhar na descentralização do atendimento. “Vamos levar saúde até onde a população está. Vamos construir tantos hospitais quanto forem necessários para termos saúde de qualidade em todas as regiões. O parceiro de Dilma no Paraná é o único que pode garantir os programas federais no Estado”, sustentou ele.
Osmar integra a aliança de Dilma e é o candidato de Lula ao governo do Paraná.
Ele voltou a criticar a proposta de compra de cinco helicópteros para atendimento de doentes em Curitiba nos casos de complexidades médicas, feita pelo adversário.
“Há milhares de ambulâncias cruzando o Estado para transportar pacientes diariamente, problema que não se resolveria com cinco helicópteros. A proposta é equivocada, impraticável do ponto de vista técnico”, disse.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA