quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Presos terão que pagar pelo uso de tornozeleiras eletrônicas no Paraná

Deputados Marcio Pacheco (PPL) e Gilberto Ribeiro (PRB). /
Foto: Pedro de Oliveira/Alep e Arte: Vinícius Leme/Alep

Os presos do Paraná vão ter que pagar pelo uso e a manutenção de tornozeleiras eletrônicas. Ontem (quarta, 28) o governador Beto Richa sancionou um projeto de lei de autoria dos deputados estaduais Marcio Pacheco, do PPL e Gilberto Ribeiro, do PRB. A medida tem como principal objetivo promover a justiça e a economia aos cofres do Estado, que gasta atualmente mais de R$ 16 milhões por ano com o monitoramento eletrônico de apenados.
 Todos os presos que tiverem condições financeiras de arcar com as tornozeleiras, braceletes e chips subcutâneos, deverão pagar. Os equipamentos de graça serão destinados apenas aos que provem na Justiça não ter condições de custeá-los. O deputado Marcio Pacheco afirma que uma legislação semelhante já foi aprovada no Rio de Janeiro e no Mato Grosso do Sul. No Senado, os parlamentares também discutem o tema.
Hoje o preso custa cerca de três mil por mês ao Paraná. Desse total, R$ 241,00 são destinados para a manutenção da tornozeleira. O Paraná é o estado onde há o maior número de presos usando o equipamento, com cinco mil e seiscentos apenados.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA