quarta-feira, 29 de março de 2017

Quadrilha registrava bens em nomes de moradores de rua e pessoas com doenças graves


Dezesseis pessoas foram presas hoje (28) pela Polícia Federal em uma operação contra o tráfico de drogas em seis Estados, incluindo o Paraná. Outros dois investigados estão foragidos. A operação, batizada de “All In”, em referência a uma jogada de pôquer, identificou traficantes que usavam nomes de laranjas para fazer transferências bancárias, registrar e transferir imóveis, veículos e até aeronaves. As vítimas, segundo a polícia, eram pessoas com doenças graves, moradores de rua e principalmente usuários de drogas.

Durante a operação, a Polícia Federal apreendeu cerca de sete milhões e meio de reais em bens, incluindo seis aeronaves, dinheiro e 30 automóveis. Também foram bloqueadas 68 contas correntes. Cinco imóveis foram sequestrados. Um aeródromo foi interditado em Corumbá, no Mato Grosso do Sul. O local é apontado como um dos principais pontos de entrada de aviões no país, carregados com cocaína trazida da Bolívia pela quadrilha. De acordo com a PF, a distribuição da droga era feita para a região Sudeste do país por via terrestre, quase sempre em caminhonetes e caminhões com compartimentos falsos. Para isso, membro da quadrilha mantinha rotas pelo Paraná. Em um ano de investigação, a polícia prendeu três integrantes da quadrilha com 800 quilos de cocaína. O nome da Operação faz alusão a jogada do pôquer em que todas as fichas são apostadas em uma única mão de cartas. De acordo com a PF, o nome é relacionado à quadrilha pelo alto risco que os membros corriam no transporte de grandes carregamentos de drogas.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA