quinta-feira, 9 de março de 2017

Governo se recusa a explicar à população o reajuste da taxa de água e esgoto

"O presidente da Agepar, Cesar Silvestri, afirmou que, inicialmente,foi solicitado 33% de reajuste pela Sanepar."


O governo do Paraná está escondendo as informações sobre a revisão do valor das tarifas de água e esgoto no Paraná, que irão aumentar em 25,63%, a partir de abril. 
A bancada do governo  rejeitou, por 20 votos contra treze, o pedido de informações apresentado pelo líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Tadeu Veneri, sobre os critérios usados para o cálculo da recomposição da tarifa.
Pela manhã, em audiência pública para tratar da revisão tarifária, o presidente da Agepar, Cesar Silvestri, afirmou que, inicialmente,foi solicitado 33% de reajuste pela Sanepar. A Agepar, entretanto, fixou o montante em 25,63%. “Estamos diante de um assalto.
A população vai pagar o aumento de 25,63%, que diz respeito à revisão tarifária, mais os reajustes anuais, relativos à reposição da inflação. E o nosso requerimento foi rejeitado porque o governo não tem como justificar o aumento da tarifa”, explicou Veneri.
A revisão tarifária ocorre a cada quatro ou cinco anos e tem o objetivo de restabelecer o equilíbrio econômico-financeiro da concessão. O reajuste, por outro lado, ocorre anualmente para recompor as perdas relativas à inflação.
No requerimento, Veneri solicitou a cópia integral da proposta encaminhada ao Instituto das Águas do Paraná no dia 15 de julho de 2016, quando a estatal solicitou autorização para alterar a metodologia do cálculo tarifário dos serviços de saneamento. O governo não quis responder se a mudança iria afetar o valor cobrado pelos serviços à população.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA