quinta-feira, 30 de março de 2017

Alzheimer: chá pode melhorar memória em 50%, diz pesquisa


Alzheimer: o consumo diário de chá preto ou chá verde pode melhorar o funcionamento da memória e as funções cognitivas.
Pesquisadores do departamento de psicologia da Yong Loo Lin School of Medicine, da Universidade de Singapura, descobriram que tomar esses tipos de chá regularmente pode reduzir em 50% o risco de declínio cognitivo em idosos, particularmente entre aqueles com risco genético para  Alzheimer.

O motivo é o alto nível de antioxidantes da bebida, que já tem sido associado também a riscos menores de diabetes, doenças cardíacas e câncer.
s pesquisadores notaram melhoras cognitivas em pacientes que tomam chá feito com infusão folhas, como chá verde, chá preto e o oolong, chá de origem chinesa muito semelhante aos anteriores.

Porque

As propriedades benéficas podem estar relacionados a substâncias como as teoflavinas, as catequinas, os teorubígenos e a L-teanina, comumente encontradas nos chás.
“Esses compostos apresentam potencial anti-inflamatório e antioxidante e outras propriedades bioativas que podem proteger o cérebro de danos vasculares e da neurodegeneração“, explicou ao Medical News Today o professor e coordenador do estudo, Feng Lei.
A pesquisa
O levantamento, publicado no The Journal of Nutrition, Health & Aging, coletou dados de 957 chineses com 55 anos ou mais, entre 2003 e 2005.
A equipe de pesquisa analisou informações sobre a quantidade, sabor e frequência com a qual os participantes consumiam a bebida.
A cada dois anos, até o ano de 2010, os participantes foram submetidos a avaliações padronizadas que avaliaram suas funções cognitivas.
Em comparação com os adultos que raramente bebiam chá, aqueles que o consumiam regularmente obtiveram 50% menor risco de demência, até mesmo entre os que possuíam o gene Apo-E E4 – associado ao risco de Alzheimer.
Nesses casos foram identificado riscos até 86% menores.
Outros fatores também foram contabilizados, incluindo a presença de outras condições médicas, atividade física e social que pudessem gerar conflitos, mas os resultados permaneceram.
“Os dados do nosso estudo sugerem que uma medida de simples e barata, como beber chá diariamente, pode reduzir os risco de uma pessoa desenvolver distúrbios neurocognitivos na terceira idade”, disse Lei.
Com informações da Veja

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA