quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

PREFEITO TARADÃO É PRESO POR ESTUPRAR CASAL VULNERÁVEL

  
O prefeito eleito do município de Santa Luzia do Norte, Edson Mateus da Silva (PRB), 44 anos, foi preso  nesta  de quinta-feira (15), denunciado pelo Ministério Público Estadual por estupro de vulnerável contra um casal, que estava dormindo. Os atos libidinosos foram flagrados em vídeo.

Segundo a juíza Juliana Batistela Guimarães de Alencar, o motivo da prisão foi a existência de prova em vídeo encontrado no celular do prefeito, no qual ele aparece cometendo ato libidinoso com um casal desacordado, na companhia de um homem adulto e de uma criança ou adolescente.
A prisão foi resultado de uma busca e apreensão durante a campanha eleitoral deste ano de 2016, quando foi apreendido um celular de Edson Mateus, com provas de crimes sexuais e eleitorais, que também resultaram na cassação do registro de sua candidatura e na abertura de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral. Também haveria provas da comercialização de medicamentos abortivos pelo político que é vereador e foi eleito prefeito com 32,33% dos votos.
“[A vítima] foi um casal que estava dormindo. E além de mexer nas vítimas, ele ainda incentiva um menino que estava junto, a fazer também. Foram atos libidinosos, sem penetração. Era um casal adulto. O estupro é de vulnerável porque o casal estava dormindo. E, junto com o candidato, estava um outro homem e também um menino, que a gente não sabe se é criança ou adolescente. É pequeno. Ele incentivou o menino a fazer”, relatou a magistrada, ao Diário do Poder.
A prisão foi realizada pela delegada Fabiana Leão, que foi transferida para o interior de Alagoas como punição por encaminhar um ofício ao governador Renan Filho (PMDB) sugerindo plantão 24 horas na Delegacia da Mulher em Maceió, onde estava lotada.
Ficha extensa
As evidências de crimes encontradas no celular do prefeito eleito não são o único problema de Edson Mateus com a Justiça. O prefeito eleito já ficou preso por dez dias e foi condenado a mais de nove anos de prisão por assalto a um funcionário da companhia elétrica de Alagoas, do qual foram roubados R$ 2,3 mil. À época do crime, Edson Mateus era vereador no município de Santa Luzia do Norte, onde presidiu a Câmara e foi denunciado por atos de improbidade administrativa.
O celular do prefeito eleito também contribuiu para que ele fosse denunciado em 19 de outubro pelo promotor eleitoral Vinícius Calheiros, que utilizou áudios de conversas no aplicativo WhatsApp que acumulavam provas de corrupção eleitoral e abuso de poder econômico.
“No celular dele foram obtidas diversas provas de corrupção eleitoral, que ensejaram duas ações criminais e também uma Aije, na qual está sendo cassado o registro eleitoral dele. E também originou esta ação criminal por estupro e uma outra ação criminal por comércio ilegal de remédio abortivo”, disse a juíza Juliana Batistela.
Diário do Poder não conseguiu contato com a defesa do prefeito.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA