quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Professores do Paraná decidem cruzar os braços a partir de segunda-feira


Os professores de todo o Paraná decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (17). A votação aconteceu em assembleia da APP-Sindicato, que representa a categoria, na manhã de hoje (12) na sede social do Paraná Clube, na Avenida Kennedy, bairro Portão, em Curitiba.
A maioria votou para a paralisação das atividades de maneira geral.
A discussão sobre a paralisação dos professores começou após o Governo do Paraná encaminhar emendas modificativas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 que autorizavam a suspensão do reajuste do funcionalismo, previsto para janeiro.
Conforme o governo, a data-base deve ser quitada depois que todas as promoções e progressões devidas sejam implantadas e pagas no estado, estimadas em R$ 750 milhões.
A diretora da APP Estadual Elizamara Goulart Araújo disse à Banda B que o objetivo da greve é a retirada da votação na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). “O governo colocou mensagem na LDO que retira a data-base da nossa categoria. A discussão hoje é essa – retirar essa mensagem para que não vá a votação na Alep. Temos greve geral decretada e a reivindicação principal é a mensagem 43 e todos os ataques que estamos sofrendo na carreira, somada à MP recente, luta dos estudantes, que também nos afeta”, conclui.
Segundo a APP-Sindicato, a medida também afeta outras categorias, em geral os servidores do estado do Paraná.
Para os professores, o governador Beto Richa já havia se comprometido a pagar integralmente a inflação de 2016 aos servidores em 2017. No entanto, o governador e o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB), informaram que o Executivo não teria caixa suficiente para arcar com os compromissos, acordados no meio do ano passado, em meio à greve dos professores.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA