sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Atrás das grades


O juiz federal Sérgio Moro condenou o ex-senador Gim Argello (PTB-DF) a 19 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Argello foi preso em abril em um dos desdobramentos da Operação Lava Jato. Segundo a investigação, ele teria cobrado R$ 5 milhões para barrar a convocação de executivos de empreiteiras nas duas CPIs da Petrobras, em 2014.


Moro também condenou o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, a 8 anos e 2 meses de reclusão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Outros dois empreiteiros ligados à UTC também foram sentenciados à prisão: Ricardo Pessoa pegou 10 anos e seis meses, e Walmir Pinheiro Santana pegou 9 anos e 8 meses.

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA