terça-feira, 6 de setembro de 2016

Bancários do Paraná iniciam greve com 360 agências fechadas em dez regiões



Os bancários e bancárias de bancos privados e públicos aderiram ao primeiro dia de greve nacional, nesta terça-feira, 6 de setembro, em todo o Brasil. No Paraná, houve fechamento de 360 agências bancárias nas dez bases sindicais que compõe a FETEC-CUT-PR (Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná). A FETEC-CUT-PR agrega 85% dos sindicatos dos bancários do Paraná, com aproximadamente 30 mil bancários e financiários.

 A greve nacional é a resposta da categoria à proposta desrespeitosa da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), apresentada no último dia 29 de agosto, de reajuste de 6,5% no salário, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A oferta não cobre, sequer, a inflação do período, projetada em 9,57% para agosto deste ano e representa perdas de 2,8% para os bancários.


O presidente da FETEC-CUT-PR, Júnior César Dias, falou que está claro o posicionamento dos bancários em relação ao movimento. “Os bancários estão dispostos para a greve, contrariando a aposta dos banqueiros de que a categoria estaria desmobilizada. A divulgação da carta da Fenaban foi mais um fator que impulsionou a greve”, disse Dias.

Para os banqueiros não há crise. O setor continua sendo o mais lucrativo do país. Somente em 2015, os maiores bancos do país lucraram quase R$ 70 bilhões. O lucro dos cinco maiores bancos (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e Caixa) no primeiro semestre de 2016 chegou a R$ 29,7 bilhões, mas houve corte de 7.897 postos de trabalho nos primeiros sete meses do ano. Entre 2012 e 2015, mais de 34 mil empregos foram reduzidos pelos banqueiros.

Com data-base em 1º de setembro, a pauta de reivindicações dos bancários foi entregue aos bancos no dia 9 de agosto, já foram cinco rodadas de negociação, mas até agora a Fenaban não apresentou uma proposta decente aos trabalhadores. Entre as reivindicações estão reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, combate às metas abusivas, ao assédio moral e sexual, fim da terceirização, mais segurança, melhores condições de trabalho. A defesa do emprego também é prioridade, assim como a proteção das empresas públicas e dos direitos da classe trabalhadora.

“A greve deve aumentar a partir do dia 09 de setembro se não houver outra proposta da Fenaban, ocupando uma dimensão muito maior. A insatisfação dos bancários é grande”, afirmou Dias.

Número de agências fechadas nas dez regiões de abrangência da FETEC-CUT-PR:

1º dia de greve. Terça-feira, 06 de setembro.

Centros administrativos: 6

Apucarana e região: 25

Campo Mourão e região: 28

Cornélio Procópio e região: 14

Curitiba e região: 194

Guarapuava e região: 15

Londrina e região: 35

Paranavaí e região: 24

Toledo e região: 11

Umuarama e região: 28

Total: 360 agências

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA