terça-feira, 5 de julho de 2016

ELEIÇÕES 2016: Faltam 88 dias para uma eleição curta e cheia de mudanças: 4 nomes na boca do povo!

Tudo leva a crer que as campanhas ficarão mais baratas, certo? Errado!!!



Faltam só 88 dias para que o cidadão possa ir às urnas escolher seus candidatos à Prefeitura de Guarapuava  e  Câmara Municipal.
 Ainda distante da maior parte da população, as discussões acerca do processo eleitoral na cidade,  têm se intensificado nas últimas semanas entre agentes políticos,
que ainda “batem cabeça”,  com o intuito de construir alianças partidárias em meio a um cenário marcado pelo descrédito na classe que deveria representar a população e por incertezas e  mudanças sensíveis nas regras eleitorais .


  
                                                  PROMESSAS E ELEIÇÃO

A corrida pela principal cadeira,  "prefeito",   apresenta elementos opostos ao do último pleito, em 2012, quando o atual prefeito conseguiu se reeleger com alta porcentagem frente aos adversários. 
Elegendo -se com a proposta de prefeito Herói que iria fazer cerca  3.000 mil casas ao povão, sequer chegou perto! 
Sem contar as promessas na saúde como pronto atendimento exclusivo a crianças, Centro de entendimento ao Idoso e muitas outras , que não deslancharam!

                                           OBRAS E RECURSOS PRÓPRIOS
  
O prefeito ainda deve enfrentar cobranças do cidadão com relação a obras com recursos próprios,  ou  obras executadas exclusivamente por seu governo! Sem a ajuda do estado ou  governo federal! 

Como recentemente  cobrou do mesmo na 760 AM,  o vereador Cosme Stimer.
"Importante lembrar que ,  Guarapuava, tem uma arrecadação anual que beira a casa dos R$ 300 milhões de reais  e cade as obras com a plaquinha dos recursos próprios? O que temos visto é empréstimo e mais empréstimo para as  obras !"  Lembrou o legislador.
É claro,  a população quer saber:  Onde foi aplicado este dinheiro, colhido a duras penas do suor do trabalhador , via impostos? Cobrança feita pelo legislador e a pergunta ficou no ar?
                                                                     
                                                                 PESQUISAS

muitas pesquisas de intenção de voto que circulam pelos bastidores, ja dão o direcionamento da  campanha eleitoral, que terá metade da duração de processos anteriores, deve se iniciar no dia 16 de agosto,  sem palpites certeiros sobre prováveis vencedores.
                                            
                                                     4 NOMES NA BOCA DO POVO!


Por enquanto, na boca do povo,  correm quatro  nomes de possíveis   pré-candidatos à prefeitura  " Fernando Ribas Carli ( PP) Antenor Gomes de Lima ( PT)  Leonardo Matos Leão (PTB) Cesar Silvestri Filho (PPS)
 Paira também a dúvida,  sobre o perfil da composição da próxima Câmara e as chances de reeleição dos  21 vereadores e vereadoras  em mandato.

                                                Limite para gastos é questionável

Pela primeira, empresas estão proibidas de colaborar com a doação de recursos para candidatos. Além disso, a minirreforma que alterou as regras do jogo eleitoral impôs limites de gastos vinculados às prestações de contas do pleito de 2012. Tudo leva a crer, portanto, que as campanhas ficarão mais baratas, certo?

Errado. Pelo menos é nisso que acredita o especialista em direito eleitoral Luciano Olavo da Silva. Segundo ele, o conjunto de alterações aprovado pelo Congresso Nacional pode privilegiar políticos ricos, dispostos a lavar dinheiro ou que já estejam no poder.
A legislação em vigor estabelece que os candidatos a prefeito não gastem mais do que 70% do valor declarado pelo concorrente com mais despesas no pleito de 2012.
                                                           Alternativas

Além disso, Luciano cita que, apesar da proibição de doação por empresas, recursos devem continuar sendo injetados de forma ilícita. “Vai se dar bem quem tiver condições de dividir o dinheiro não declarado entre pessoas físicas que aparecerão como doadoras oficiais”, afirma o especialista. Ele diz ainda que candidatos ricos terão condições de financiar suas próprias campanhas e outros já inseridos no “status quo”, possibilidades mais eficazes de arrecadar recursos.

                                                            Menos corpo a corpo

Luciano Olavo acredita que o corpo a corpo perderá espaço. Isso porque se antes a propaganda no rádio e na televisão durava 45 dias em uma campanha de 90 dias, agora durará 35 em 45 dias. “Aumentaram o peso do marketing. É mais um gesto em favor de quem tem dinheiro”.

Os candidatos a vereador, por outro lado, aparecerão menos. Os dois blocos diários, de 10 minutos, serão dedicados exclusivamente aos prefeitáveis, que terão também 48 minutos em inserções durante a programação. A propaganda na Internet também está liberada.
Mas os políticos não poderão pagar para que suas publicações tenham mais alcance nas redes sociais.

Daqui a 88 dias, saberemos quem leva o trono , neste jogo pelo poder!!!!

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA