terça-feira, 21 de junho de 2016

RENOVAÇÃO DE PEDÁGIO AGORA: SÓ PASSANDO PELOS DEPUTADOS?

Basta ir a vizinha Santa Catarina e comprovar que é possível , estradas boas com preço justo no pedágio?

A Assembleia Legislativa aprovou em primeira votação dois projetos que dificultam a renovação dos contratos de pedágio das estradas paranaenses. Os dois projetos prevêem que, caso o governo do estado deseje "aumentar" o período da atual e carissima  concessão, será preciso passar primeiro pelo crivo dos deputados estaduais.

O projeto foi aprovado com 46 votos na Assembléia e com apoio da própria bancada governista.

Os projetos são de autoria de Tercílio Turini (PPS) e de Douglas Fabrício (PPS) – atual secretário de Esporte e Turismo na gestão de Richa sua vaga na AL é ocupada pela suplente de Deputado Cristina Silvestri.
As propostas agora precisam passar por mais duas votações na Assembléia antes de seguirem para   sanção final do governador.

A renovação dos contratos, assinados em 1998 pelo então governador Jaime Lerner e com duração prevista até 2023, começou a ser discutida no fim da primeira gestão Richa.
  Entidades do “setor produtivo”, só defendem  uma possível  antecipação de renovação do contratos de pedágio , se  houvesse redução do preço estipulada claramente em contrato. Pois o pedágio no Paraná é abusivo e caro.

A necessidade do aval da Assembleia não impede que os contratos venham a ser renovados ou que ocorram aditivos, já que Richa ainda tem maioria na Assembleia e poderia conseguir a aprovação. Mas torna o processo politicamente muito mais complexo e os deputados, se o fizerem, passariam pelo crivo de desaprovação popular, pois qualquer pesquisa séria poderá comprovar o quanto quem utiliza as rodovias e população é contra o preço abusivo cobrado pelas empresas no Parana. Basta ir a vizinha Santa Catarina e comprovar que é possível , estradas boas com preço justo no pedágio.

Basta querer? 

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA

ENTRE EM CONTATO - SUA PAUTA
LIGUE JA